domingo, 31 de agosto de 2014

EDUCAÇÃO

Eis a real razão pela qual a Republiqueta da Bananolândia investe muito menos do que deveria numa população cada vez mais numerosa :

sábado, 30 de agosto de 2014

A LIBERDADE - James Pizarro

Nunca usei celular. Não pretendo usar. Assim como não uso relógio, pulseira, colar, gravata, terno,

calça comprida, camisa social. Minha mulher tem celular. E meu deu um de presente. Que nunca usei

 e nem sei o número. Assim como não sei o número do celular dela. Quando preciso, procuro na

agenda. Sei que quem trabalha faz uso profissional do celular. Mas tudo que me lembre trabalho eu

não uso. Parto de um pressuposto básico : quem estiver realmente precisando falar comigo que me

ache.

Isso tudo faz parte do meu esquema pessoal de LIBERDADE.

Custei. Mas consegui.

domingo, 24 de agosto de 2014

NIVELANDO POR BAIXO - James Pizarro

No Brasil já ocorreram seis modificações (reformas e acordos) da Língua Portuguesa : 1911, 1931, 1943, 1945, 1971 e 1990. O primeiro grande equívoco foi o de 1911, cuja reforma ortográfica teve por alvo deixar nossa língua mais afastada do latim, de onde se originou o português.

Seria fastidioso demais discorrer sobre as barbaridades todas cometidas nestes anos todos contra nossa língua.

Agora, 2014, nossos senadores - todos de "reconhecida cultura" - discutem nova reforma, como se não tivessem outros assuntos importantes e prioritários para o povo. Entre as medidas que pretendem tomar, querem tornar extinta a letra H.


De sorte que passaríamos a escrever, por exemplo, "OJE" e não mais HOJE.
CHAVE passará a ser escrita "XAVE".


 Já as palavras "burrice" e "corrupção" permanecerão como estão...

CONSTATAÇÃO - James Pizarro

Existem cursos superiores e universidades que deixam muito a desejar.
 
Também se sabe que diploma nunca encurtou as orelhas de ninguém.

Mas uma coisa eu nunca vi : uma pessoa ter saído de uma universidade mais ignorante do que entrou.

TUDO SOBRE O VÍRUS EBOLA - Portal da Saúde do Governo Federal

EBOLA

Informe técnico e orientações para as ações de vigilância e serviços de saúde de referência

HISTÓRICO E SITUAÇÃO ATUAL
O vírus Ebola foi identificado pela primeira vez em 1976, no Zaire (atual República Democrática do Congo), e, desde então, tem produzido vários surtos no continente africano. Esse vírus foi transmitido para seres humanos que tiveram contato com sangue, órgãos ou fluidos corporais de animais infectados, como chimpanzés, gorilas, morcegos-gigantes, antílopes e porcos-espinhos. Existem cinco espécies de vírus Ebola (Zaire ebolavirus, Sudão ebolavirus, Bundibugyoebolavirus, Restonebolavirus e Tai Forest ebolavirus), sendo o Zaire ebolavirus o que apresenta a maior letalidade, geralmente acima de 60% dos casos diagnosticados.



CASOS DE DOENÇA POR VÍRUS EBOLA - CONFIRMADOS, PROVÁVEIS E SUSPEITOS


* Dados acumulados desde dezembro de 2013.
** O número total de casos, está sujeito a alterações devido a reclassificação em curso, investigação retrospectiva, e disponibilidade de resultados laboratoriais. Os dados relatados do surto da doença são baseados em informações oficiais relatado pelos Ministérios da Saúde.

PAÍSES AFETADOS PELO VÍRUS EBOLA

evd-outbreak.jpg (960×720)

DEFINIÇÕES
  • CASO SUSPEITO: Indivíduos procedentes, nos últimos 21 dias, de país com transmissão atual de Ebola (Libéria, Guiné, Serra Leoa e Nigéria – OMS) que apresente febre de início súbito, podendo ser acompanhada de sinais de hemorragia, como: diarreia sanguinolenta, gengivorragia, enterorregia, hemorragias internas, sinas purpúricos e hematúria.
  • CASO CONFIRMADO: Caso suspeito com resultado laboratorial conclusivo para Ebola realizado em Laboratório de Referência.
  • CONTACTANTE: Indivíduo que teve contato com sangue, fluido ou secreção de caso suspeito; OU Dormir na mesma casa; Contato físico direto com casos suspeitos; Contato físico direto com corpo de casos suspeitos que foram a óbito (funeral); Contato com tecidos, sangue ou outros fluidos corporais durante a doença; Contato com roupa ou roupa de cama de casos suspeitos; Ter sido amamentado por casos suspeitos (bebês).
  • CASO PROVÁVEL: caso suspeito de viajantes ou profissionais de saúde provenientes desses países e que apresentem histórico de contato com pessoa doente, participação em funerais ou rituais fúnebres de pessoas com suspeita da doença ou contato com animais doentes ou mortos.
 
 NOTIFICAÇÃO
O ebola é uma doença de notificação compulsória imediata e deve ser realizada pelo profissional de saúde ou pelo serviço que prestar o primeiro atendimento ao paciente, pelo meio mais rápido disponível, de acordo com a Portaria Nº 1.271, de 6 de junho de 2014.
Todo caso suspeito deve ser notificado imediatamente às autoridades de saúde das Secretarias municipais, Estaduais e à Secretaria de Vigilância em Saúde por um dos seguintes meios: telefone 0800.644.6645, preferencialmente; e-mail notifica@saude.gov.br O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou formulário eletrônico no site da SVS.
Endereço eletrônico:  http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=6742.

PERÍODO DE INCUBAÇÃO
O período de incubação pode variar de 1 a 21 dias.

TRANSMISSÃO
Não há transmissão durante o período de incubação. A transmissão só ocorre após o aparecimento dos sintomas e se dá por meio do contato com sangue, tecidos ou fluidos corporais de indivíduos infectados (incluindo cadáveres), ou do contato com superfícies e objetos contaminados.

ALGORITMO PARA INVESTIGAÇÃO DE CASO SUSPEITO

Acesse aqui a versão do algoritmo em PDF.
 
CASO SUSPEITO EM AVIÃO
Na ocorrência de caso suspeito em aeronave, deverão ser adotados os seguintes procedimentos:
  1. O caso suspeito deve ser manejado na aeronave e informado ao aeroporto de destino, seguindo os protocolos e procedimentos da ANVISA, de acordo com as orientações dos Organismos Internacionais;
  2. O aeroporto deve acionar, imediatamente, o Posto da ANVISA, que realizará os procedimentos necessários para avaliação do caso e adoção das medidas necessárias;
  3. Se caracterizado como Caso Suspeito de DVE, o Posto da ANVISA deverá notificar o caso e acionar o SAMU 192 e a Secretaria Estadual de Saúde;
  4. O SAMU 192 deverá comunicar o Hospital de Referência, informando sobre o deslocamento do paciente;
  5. O paciente deverá ser transportado para o Hospital de Referência e apenas os profissionais do SAMU 192 deverão realizar o manejo do paciente, utilizando os Equipamentos de Proteção Individual preconizados;
  6. O Posto da ANVISA entrevistará os passageiros e tripulantes para identificação de contactantes;
  7. Os passageiros sentados ao lado do caso suspeito, imediatamente à frente e atrás, devem ser incluídos como contactantes, bem como os passageiros e tripulantes que tiveram contato com fluidos....;
  8. Os contactantes deverão ser acompanhados pela Secretaria Estadual de Saúde;
  9. Os procedimentos de limpeza e desinfecção da aeronave devem seguir o “Plano de Contingência e Resposta para Emergência em Saúde Pública para pontos de entrada” da ANVISA.
Nos casos suspeitos em navios deverão ser adotados os mesmos procedimentos do “Plano de Contingência e Resposta para Emergência em Saúde Pública para pontos de entrada”.

CASO SUSPEITO EM SERVIÇO DE SAÚDE
O serviço de saúde público ou privado que atender um caso suspeito de DVE deverá adotar os procedimentos de biossegurança, notificar imediatamente a Secretaria Municipal, Estadual de Saúde ou à SVS, e acionar o SAMU 192, que realizará o transporte do paciente para o Hospital de Referência.
Os Hospitais de Referência deverão adotar os seguintes procedimentos:
  1. Orientar o paciente e familiares/acompanhantes sobre os procedimentos que serão adotados;
  2. Internar o paciente em quarto privativo com banheiro, em isolamento, com condições de suporte à vida, adotando as medidas de biossegurança;
  3. Realizar coleta de material do paciente para diagnóstico laboratorial e exames complementares;
  4. Evitar a movimentação e o transporte do paciente para fora do quarto de isolamento, restringindo-os às necessidades médicas. Quando necessário, tanto o paciente quanto o profissional que for fazer o transporte devem utilizar os EPI recomendados;
  1. Todos os profissionais de saúde encarregados do atendimento direto aos pacientes suspeitos de DVE devem estar protegidos utilizando os seguintes Equipamentos de Proteção Individual (EPI): macacão com mangas compridas, punho e tornozelos com elástico, resistente à abrasão, resistência à penetração viral, costuras termoseladas, com abertura e fechamento frontal por ziper; máscara de proteção respiratória PFF2 ou N95 (quando indicado); protetor facial; cobre-bota; luvas descartáveis e avental descartável, resistentes a fluidos e impermeáveis.
  1. Todos os EPI deverão ser retirados e descartados como resíduos do Grupo A1, conforme descrito na RDC/Anvisa nº 306 de 04 de dezembro de 2004, que dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde.
  2. Atenção especial deve ser dada aos procedimentos de lavagem das mãos, por parte dos profissionais que realizam os procedimentos, utilizando antisséptico como o álcool-gel ou soluções degermantes (clorexidina a 2% ou PVPI 10%). A higiene das mãos deve ser realizada imediatamente após a remoção dos EPI.
  3. Usar dispositivos descartáveis para o atendimento ao paciente sempre que possível. Quando não houver dispositivo descartável, implantar o uso exclusivo para cada paciente, de estetoscópio, esfigmomanômetro e termômetro, que deverão sofrer desinfecção após o uso.
  4. Evitar o uso de altas pressões de água e não pulverizar o produto químico desinfetante de procedimentos que gerem aerossóis e respingos. Usar os EPI recomendados durante a limpeza do meio ambiente e do manuseio de resíduos.
  5. Descartar os materiais perfuro-cortantes em recipientes de paredes rígidas, resistentes à punção, com tampa e resistentes à esterilização. Estes recipientes deverão estar localizados próximos à área de uso. Estes resíduos são considerados do Grupo A1.
  6. Autoclavar todos os resíduos de saúde (Grupo A1) provenientes do atendimento ao paciente e encaminhar para incineração.
  7. Todos os itens com os quais o paciente tiver contato e superfícies ambientais devem ser submetidos à desinfecção com hipoclorito de sódio 10.000 ppm ou 1% de Cloro ativo (com 10 minutos de contato). Este procedimento deve ser repetido a cada troca de plantão, conforme Manual Segurança do Paciente Limpeza e Desinfecção de Superfícies da Anvisa.
 
PROCEDIMENTOS PARA DIAGNÓSTICO LABORATORIAL

a)
Coleta
A coleta da amostra deve ser realizada de modo asséptico.  O responsável pela colheita deve estar protegido com Equipamentos de Proteção Individual (EPI) especificados anteriormente. Os materiais usados para a coleta e transporte, incluindo os EPI devem ser incinerados

b) Tipo de amostra
Deverá ser colhido 10 ml de sangue, sendo uma alíquota para diagnóstico confirmatório de DVE e outra para exames complementares. Não é necessário, na fase aguda, separar o soro do sangue, procedimento que pode aumentar significativamente o risco de infecção acidental. É obrigatório o uso de sistema de coleta de sangue à vácuo com tubos plásticos secos estéreis selados.
Nos casos de óbitos em que não se tenha obtido o sangue, fragmentos de vísceras deverão ser colhidos, adotando-se os mesmos cuidados de proteção. A necropsia só deve ser realizada em locais com condições adequadas de biossegurança, com a utilização dos EPI preconizados. Recomenda-se colher um fragmento de fígado de 1 cm3. Onde não existem condições adequadas para a necropsia, deve-se utilizar a colheita por agulha de biopsia.

c) Transporte de amostra
O material biológico (sangue ou tecidos) deve ser transportado em gelo seco, em caixas triplas destinadas a substâncias infecciosas Categoria A UN/2814, para o Laboratório de Referência – Instituto Evandro Chagas (IEC).
O transporte do material desde a Unidade de Saúde até o Laboratório de Referência (IEC) é de responsabilidade da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde.
O isolamento viral deverá ser realizado somente em laboratórios dotados de ambiente NB4. Assim, nenhum laboratório público (federal, estadual ou municipal – incluindo os das universidades públicas) ou privado deve realizar essa técnica.

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

A DVE é uma síndrome febril hemorrágica aguda cujos diagnósticos diferenciais são: Malária, Febre Tifoide, Shiguelose, Cólera, Leptospirose, Peste, Ricketsiose, Febre Recorrente, Meningite, Hepatite e outras febres hemorrágicas.

TRATAMENTO
Não existe tratamento específico para a doença, sendo limitado às medidas de suporte à vida.

INVESTIGAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA
Colher informações detalhadas sobre o histórico de viagem para áreas afetadas pelo vírus, a fim de identificar possível Local Provável de Infecção (LPI).
Deve-se, ainda, buscar no histórico de viagem as atividades de possível exposição ao vírus, como contato com indivíduo suspeito (vivo ou morto); animal (vivo ou morto); e tecidos, sangue e outros fluidos corporais infectados. Adicionalmente, recomenda-se registrar detalhadamente as manifestações clínicas apresentadas.
Os contatos de casos suspeitos identificados deverão ser monitorados por 21 dias após a última exposição conhecida.
Para o acompanhamento dos contatos assintomáticos não é necessário o uso de EPI pelos profissionais de saúde. A partir da manifestação de sintomas compatíveis com DVE os contactantes serão tratados como casos suspeitos.
 
****************
 
FONTE : Portal da Saúde, Governo Federal

sábado, 23 de agosto de 2014

A DEPRESSÃO EM SANTA CATARINA - James Pizarro

Santa Catarina está entre os cinco estados brasileiros onde a depressão é uma ocorrência psiquiátrica grave. A número de atendimentos e atestados médicos é imenso.
Para piorar a situação o estado de Santa Catarina possui apenas 85 CAPS (Centros de Atendimento Psicossocial), quando precisaria ao redor de 180 CAPS, conforme as autoridades. Precisaria, inclusive de um novo tipo de atendimento, o CAPS - 3, que atenderia aos sábados e domingos, com três ou quatro leitos para os casos mais graves.
Ouvindo diariamente a propaganda eleitoral gratuita, JAMAIS algum candidato, em qualquer nível de cargo, falou sobre o tema "depressão" que, em matéria de atendimentos de urgência e de risco, só perde para doenças cardíacas.
Leia o que diz o Poder Judiciário de Santa Catarina :
http://www.tjsc.jus.br/institucional/diretorias/ds/enfermagem/dicas/depressao.htm
Ver mais
Portal do Poder Judiciário do Estado de Santa Catarina
tjsc.jus.br|Por Divisão de Informática

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

sábado, 16 de agosto de 2014

APOSENTADOS : VAMOS MOSTRAR NOSSA "GRATIDÃO" ? - James Pizarro

Como tenho 72 anos não sou mais obrigado a votar.

Mas fiquei pensando nos 5 % que os 9 milhões de aposentados que existem no Brasil receberam de aumento em 2014, depois de trabalharem quase meio século, produzido e contribuído com a previdência. Enquanto quem nunca trabalhou, produziu ou contribuiu recebeu 10 % de aumento na sua Bolsa Família.

Não pensem que sou contra o Bolsa Família, que foi uma criação do governo FHC e muito justamente copiado pelo governo Lula. Sou contra o tratamento desigual dado ao aumento dos aposentados, isso sim !

Cada um dos aposentados deve ter 3 ou 4 dependentes ou parentes que também são eleitores.

Quem sabe todos nós - aposentados e familiares - vamos às urnas para "agradecer" os nossos 5 %  ?

A Dilma vai "adorar" a nossa gratidão...

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

A NÁUSEA E A POLÍTICA PODRE - James PIZARRO

Lamento, do fundo do meu coração, a morte prematura e trágica do jovem político Eduardo Campos. Fico condoído da viúva e seus cinco filhos, que terão de passar por um longo período de luto e se acostumar à ausência do líder familiar. E me comove ver a idosa mãe de Eduardo tendo de suportar a violenta perda do filho amado em plena disputa pela presidência da república. Toda a tragédia familiar me comove às lágrimas.

Mas o que não me comoveu e me deu náuseas foi ver políticos adversários e, principalmente, a "cumpanheirada" do seu ex-partido dando entrevistas duas ou três horas depois da morte de Eduardo. E fazendo caudalosos elogios quando, nos últimos meses, diziam horrores dele.

Menos de 24 horas antes do acidente (noite de 12/8, no Jornal Nacional da Rede), Eduardo Campos foi massacrado por Bonner e Patricia Poeta na entrevista ao presidenciável. Liguem a Globo agora e vejam o que dizem : tecem os mais entusiasmados elogios póstumos. A desfaçatez é tão grande que um dos comentaristas disse (ipsis verbis) : "Lá se foi a esperança de renovação da política brasileira".

Desliguei a TV. E saí da sala.

Para não vomitar no sofá.

sábado, 9 de agosto de 2014

DECIDIR JÁ ! - James PIZARRO

Aos 65 anos (7 anos atrás), eu e minha mulher decidimos morar numa praia em SC. Ela me perguntou :

 - Quando vamos ?

 Sem pestanejar, eu disse :

- Depois de amanhã....

 Em apenas 48 horas resolvemos questões burocráticas (documentos, banco, passagens, etc...) e carregando apenas 8 malas de roupas e meu computador, sem ter reserva em hotel, chegamos em Canasvieiras. Não conhecíamos ninguém. Só depois de estarmos na praia é que telefonamos para os três filhos e avisamos que estávamos morando em Florianópolis. Ficaram tão estupefatos que dias depois estavam nos visitando.


 Passados 7 anos, estamos confortavelmente instalados à beira do mar. Conhecemos centenas e centenas de pessoas,. Fizemos novas amizades. Nenhum de nós adoeceu ou morreu. Vivemos felizes.
Aos mais jovens eu tenho dito com toda a convicção :


- A Vida costuma premiar só aqueles que têm OUSADIA !!!


 Aos indecisos, excessivamente cautelosos, medrosos, que ficam pensando anos a fio em mudar suas vidas resta apenas a mesmice.


 A rotina.


 O tédio.


 E o arrependimento quando estiverem agonizando.

" VAMOS COMBINAR ? " - James PIZARRO


Coisas que ouço e  registro ao contrário na minha cabeça :

- Vamos combinar uma saída, vou te levar à Serra do Rio do Rastro, é maravilhoso !

- Temos de fazer um passeio pra ti conhecer à cidade tal...

- Vou te ligar pra gente ir à Guarda do Embaú...

Poderia contar  centenas de exemplos que ocorreram nestes 7 anos que moro aqui. Meus amigos sabem que eu SEMPRE  faço questão de pagar a metade das despesas (gasolina, almoço, lanches, janta, hotel) para não causar constrangimento e nem prejuízo a ninguém.

Mas mesmo assim nada é cumprido. Por isso nem presto atenção mais nesse tipo de papo. Sempre ressalto que há raras exceções, pessoas que combinam e cumprem.

Mas não cumprir é uma coisa cultural.

RÉQUIEM PARA A EDUCAÇÃO BRASILEIRA - James Pizarro

Pelas "inovadoras" e "lúcidas" diretrizes da Educação no Brasil ninguém mais é reprovado nas 8 séries do Ensino Fundamental e no Ensino Médio há um jeitinho de aprovar todo mundo através de um mirabolante sistema de pareceres onde o aluno que tira nota 6 ganha o mesmo parecer de quem tira 9. Ao invés da exigência ser cada vez maior para que os alunos possam subir de nível, as escolas baixam seu nível facilitando a aprovação... do aluno relapso.

Se continuar este desmantelamento, as escolas qualquer dia vão aceitar como "profis" pessoas que nunca fizeram universidade. Para que ter formação superior com mestrado e doutorado para ganhar mal e trabalhar num esquema farsante desses ? O "profi" faz de conta que ensina, o aluno faz de conta que aprende, o governo faz de conta que paga e todos fazem de conta que prepararam o aluno para um mercado de trabalho que faz de conta que existe.


É o país do faz de conta...

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

SOBRE O TIGRE DO ZOOLÓGICO DE CASCAVEL - James Pizarro

Algumas pessoas mal informadas a respeito de ZOOLOGIA, ECOLOGIA e ETOLOGIA (Ethos = comportamento) estão fazendo um movimento para que o tigre do Parque Zoológico de Cascavel, PR seja sacrificado.

 Já assinei várias petições que circulam pelo mundo virtual CONTRA a idéia de se matar o tigre, uma vez que ele não tem culpa de nada. Senão vejamos :


 1)- o tigre foi retirado do seu habitat natural, onde vivia com total liberdade e cumprindo seu destino de ser vivo adaptado àquelas paragens;


 2)- foi condenado pelo homem a viver confinado em uma gaiola no Parque Zoológico de Cascavel, onde é importunado dia e noite, atitude que fere as regras da ETOLOGIA;


 3)- apesar da jaula ter placas avisando do perigo, de ter a cerca regulamentar antes da tela, de ter guardas, veterinários, parentes do menino, a tragédia aconteceu por imprudência (como os filmes na TV mostram);


 4)- não é objetivo desta minha postagem discutir juridicamente responsabilidades e achar culpados (imprudência do menino ? falta de cuidado do pai ? culpa dos funcionários do Zoo ? etc...);


 5)- neste triste episódio o ÚNICO que não pode ser punido é o tigre, pois foi provocado e agiu como manda seu instinto animal de predador, além de ter seu território (a jaula) invadido. Se querem achar culpados, investiguem. Mas a culpa não é do tigre.

domingo, 3 de agosto de 2014

POR FALAR EM "CRIANÇA-ESPERANÇA"...

Tenho observado ao logo dos anos a campanha "Criança Esperança". E tenho esperado resultados mais concretos diante da quantidade fantástica de dinheiro arrecadado a cada ano. Tenho esperado filmes com creches, escolas, bibliotecas, etc...

Mas o que vejo, a título de prestação de contas das campanhas anuais são filmes com as "obras" realizadas : doação de bolas, doação de material para escolinhas que ensinam capoeira, doação de instrumentos musicais para uma bandinha escolar, professores que ensinam artesanato com garrafas pet, etc...

É má vontade minha ou vocês não acham pouco diante dos milhões e milhões arrecadados ?

 Eu deixei de fazer doações para esta campanha. Prefiro doar roupas, cobertores, comida, para os pobres aqui da praia. Ou fazer doações diretamente para a APAE, por exemplo

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

NÃO SEJA BOBO ! - James Pizarro

Quando precisar dos serviços de um prestador de serviços gerais (eletricista, mecânico, carpinteiro, marceneiro, serralheiro, vidraceiro, faxineira, etc...) faça um minicontrato (você mesmo pode redigir) onde estão descritos com minúcias o que o profissional se compromete a fazer e o que você se compromete a pagar.

Deve constar endereço , telefone, assinatura, prazos, etc...Pode ser um simples jardineiro para aparar a grama ou limpar a calçada. Faça o contrato.

 Se não fizer vai tomar no rabisteco...

PALAVRAS CRUZADAS - James Pizarro

Desde que li, há muitos anos, que o hábito de fazer palavras cruzadas exercita o cérebro e é excelente para prevenir-se contra o Alzheimer, passei a faze-las diuturnamente. Compor as mais difíceis que estão à venda nas bancas : A RECREATIVA (que é a primeira revista de palavras cruzadas do Brasil). A editora costuma vender várias número encadernados num só volume, com o titulo de COLEÇÃO "A RECREATIVA".

 Além de exercitar o cérebro (as palavras cruzadas são... realmente difíceis nesta coleção), a gente aprende inúmeras palavras novas e enriquece o vocabulário. Para dar um exemplo, só de ontem para hoje, aprendi algumas palavras novas :

 a)- DEIMOS : o menor e mais externo satélite de Marte;
b)- ARNELA : raiz ou pequeno pedaço de dente que se conserva na gengiva;
c)- REMOQUE : alusão zombeteira;
d)- DEPRECATA (Dir) : pedido que um juiz faz a outro juiz.
e)- ANACARAR : ruborizar, ficar vermelho.
f)- MADRAS : lenço usado pelas mulheres.


 OBSERVAÇÃO ; se eu aprender 10 palavras novas por dia, no final de um ano terei aprendido 3650 novas palavras; 36.500 em 10 anos, etc...


 Já pensou ?