sexta-feira, 10 de julho de 2015

FALECIMENTO 9/7/2015

Com grande tristeza comunico o falecimento do empresário e médico Luiz Carlos Nassar Falckembach, fundador do curso Pré-Vestibular Riachuelo, ocorrido na noite de quinta-feira, 9/7, no Hospital de Caridade Dr. Astrogildo de Azevedo, onde estava internado há 10 dias. Conhecido por todos os amigos como "Lito", Falckembach faria 72 anos no dia 28 de julho. Além de empresário, Falckembach era médico e lecionou no Departamento de Patologia da Universidade Federal de Santa Maria. Fui colega do Lito no ginásio e científico do MANECO e, como professor de Biologia, trabalhei mais de 30 anos com ele nos cursinhos Riachuelo e Master. Foi meu amigo particular, meu colega de sauna e tênis no ATC, enfim - uma amizade de mais de meio século. Meus sentimentos aos familiares.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

BRINCANDO COM A TRAGÉDIA GREGA...


Consequências da crise na Grécia

1. Zeus vende o trono para uma multinacional coreana.

2. Aquiles vai tratar o calcanhar na saúde pública.

3. Eros e Pan inauguram prostíbulo.

4. Hércules suspende os 12 trabalhos por falta de pagamento.

5. Narciso vende espelhos para pagar a dívida do cheque especial.
6. O Minotauro puxa carroça para ganhar a vida.

7. A Acrópole é vendida e aí é inaugurada uma Igreja Universal do Reino de Zeus.

8. Eurozona rejeita Medusa como negociadora grega: "Ela tem minhocas na cabeça!".

9. Sócrates inaugura Cicuta's Bar para ganhar uns trocados.

10. Dionísio vende vinhos à beira da estrada de Marathónas.

11. Hermes entrega currículo para trabalhar nos Correios. Especialidade: entrega rápida.


12. Afrodite aceita posar para a Playboy.

13. Sem dinheiro pra pagar os salários, Zeus libera as ninfas para trabalharem na Eurozona.

14. Ilha de Lesbos abre resort hétero.


15. Para economizar energia, Diógenes apaga a lanterna.

16. Oráculo de Delfos vaza números do orçamento e provoca pânico nas Bolsas.

17. Áries, deus da guerra, é pego em flagrante desviando armamento para a guerrilha síria.

18. A caverna de Platão abriga milhares de sem-teto.


19. Descoberto o porquê da crise: os economistas estão todos falando grego!

Jornal A RAZÃO, pág. 2, edição de 9/julho/2015


COLUNISTAS

A burrice

James Pizarro
por James Pizarro em 09/07/2015
Compartilhar:
Mais opções
Em 2007, a Secretaria Municipal de Turismo de Santa Maria – leia-se Paulinho Ceccin – pensou em construir um monumento em homenagem à N. S. Medianeira, padroeira do Rio Grande do Sul (muita gente pensa que é São Pedro). O monumento seria construído no Morro do Cechella e teria todos os equipamentos modernos em seu entorno, como vias de acesso, capela, lancherias, mirantes, museu para contar a história da santa, restaurantes, vendas de lembranças e postais, policiamento.
Seria uma obra gigantesca que atrairia milhares de turistas brasileiros e estrangeiros, pois seria o maior monumento brasileiro do gênero, planejada por artistas e técnicos santa-marienses, sob a direção do J. Amoretti. A prefeitura municipal não gastaria nada, pois todo dinheiro viria de doações, captação de recursos particulares, verbas do Ministério do Turismo, etc...
Na edição de 28/29 de julho de 2007 (sábado/domingo) de A Razão, publiquei e assinei matéria de página inteira sob o título “Até a Medianeira é repudiada aqui !? “. Fi-lo porque tão logo foi lançada a ideia pela construção do monumento setores obscurantistas iniciaram feroz campanha contra a iniciativa do então secretário Paulinho Ceccin. Essas pessoas nem se dão conta da vocação que Santa Maria tem para o turismo religioso. E ficam contra a ideia mas não propõem nada em seu lugar.
Nunca falei sobre isso com o Paulinho Ceccin. Nem com dom Hélio. Nem com ninguém. E ninguém me pediu para escrever a favor à época porque nunca aceitei escrever coisas por encomenda. Nem tão pouco apoiei a iniciativa por ser católico apostólico romano, praticante e convicto. Quisessem os umbandistas construir monumento semelhante em homenagem à Iemanjá, estaria eu a favor. Quisessem os meus amigos espíritas homenagear Allan Kardec com um monumento de igual tamanho, contariam com meu apoio. Sou de profunda formação ecumênica.
Tivesse o projeto sido aprovado e construído teríamos hoje no morro do Cechella o maior monumento religioso do Brasil iluminando a noite santa-mariense: a santinha em sua posição original, de braços abertos, feericamente iluminada, maternal e generosamente acolhendo em seu seio todos os santa-marienses e gaúchos. Além do turismo rendendo divisas para nosso município.
Que Nossa Senhora Medianeira ilumine a cabeça burra dos muitos que teimam em lutar contra o progresso de nossa querida cidade natal.
James Pizarro

sábado, 4 de julho de 2015

SANTA CATARINA : 590 VINHEDOS

55 propriedades cultivam 590 vinhedos = 3.173.300 hectares (dados da EPAGRI - Empresa de Pesquisa Agroecuária e Extensao Rural) em parceria com a FAPESC (Fundação de Pesquisa do Estado). Onze dessas vinícolas têm infraestrutura para receber turistas (desgustação, restaurantes, hospedagem, atrações, etc....)

"TRAVESSIA"

"TRAVESSIA" - Charles Zimmerman.
Partindo de Jaraguá do Sul, SC, e viajando durante 747dias, Charles Zimmerman pedalou por 4 continentes, passou por 40 paises, escreveu um belo livro e fez o lançamento do mesmo no último dia 30 de junho aqui em Floripa. Título da obra : "TRAVESSIA". A aventura e o livro já foram tema do programa de Fernando gabeira no Globo New*s. Quem quiser comprar o livro : Livraria Catarinense do Beiramar Shopping.


"Jornal de Santa Catarina"

O SANTA foi lançado em 22 de setembro de 1971, composto a frio e impresso em rotativa off-set.(Adalberto Day).


Primeira banca de revistas de Florianópolis

Banca do Sr. Athur Beck - 1ª banca de revistas e jornais de Florianópolis. Foto: acervo do pesquisador Dr. Norberto Ungaretti.
Sr. Artur Beck, proprietário da 1ª banca de revistas e jornais de Florianópolis.http://normabruno.wordpress.com/

O CATARINENSE

Dia 28 de julho de 1831 marca a fundação do primeiro jornal de Santa Catarina, O Catarinense, criado por Jerônimo Coelho,


DONA BILICA

"DONA BILICA, Naquele Tempo" é um curta metragem que ganhou 5 prêmios na mostra competitiva de Curtas Catarinenses e do MERCOSUL : melhor filme catarinense (juri oficial e juri popular), melhor documentário, melhor montagem (Marco Martins) e melhor diretor (Renato Turnes). A personagem Dona Bilica é vivida pela atriz Wanderleia Willl (foto) e retrata a descendência açoriana da de Florianópolis.


MUSEU DO HOMEM DO SAMBAQUI (Colégio Catarinense)


O acervo do Museu do Homem do Sambaqui, localizado no Colégio Catarinense, em Florianópolis-SC, desenvolve um trabalho de cuidado com os materiais de pesquisa que possam contribuir para o entendimento da história natural, arqueológica e antropológica, dentre outras áreas, em terras catarinenses. Muitos materiais foram encontrados e selecionados pelo Pe. João Alfredo Rohr, sj, como é o caso dos esqueletos de centenas de anos atrás; outros materiais foram organizados pela equipe de profissionais do Museu, como é o caso das vestes litúrgicas. O Acervo é constituído das seguintes coleções: arqueológica, geológica, zootécnica, numismática, vestes litúrgicas e malacológica. Todo acervo revela a vida num passado longínquo e sinaliza para o cuidado com essa história.
Endereço
Rua Esteves Junior, 711,
Centro - Florianópolis - SC
Tel: (48) 3251-1516


Nereu do Vale Pereira

NEREU DO VALE PEREIRA ; Conheça o significado de alguns nomes de bairros em Florianópolis
http://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/…/conheca-o-signi…

SÃO LOURENÇO DO OESTE, SC - TERRA DOS BISCOITOS


É a sede de duas grandes fabricas de biscoitos e massas : Parati e Casaredo. Mas a cidade tem muito mais :
SETOR PRIMÁRIO
Agricultura - Produção diversificada proveniente da pequena propriedade;
Pecuária - Produção de bovinos para corte e leite, com predominância para a produção leiteira; produção de suínos e aves em sistema de integração e cooperativismo;
Extrativismo - Produção de madeira reflorestada;
SETOR SECUNDÁRIO
Indústria Alimentícia - Ênfase na produção de biscoitos e massas;
Indústria Madeireira / Moveleira;
Indústria Diversificada - composta por inúmeros estabelecimentos que atuam nos ramos de metal mecânico, vestuário, derivados de cimento dentre outros;
SETOR TERCIÁRIO
Comércio - Base comercial existente atende à população local e micro regional;
Prestação de Serviços - O setor é composto por profissionais liberais e autônomos além de inúmeros estabelecimentos que atuam de forma a atender a crescente demanda local por serviços especializados, e forte atuação para a construção civil.


HAITIANOS EM SC

Já se contam aos milhares os haitianos contratados por empresários catarinenses que não poupam elogios a esses novos profissionais. Principais atributos : não faltam ao trabalho, educados e dedicados ao que fazem.


Mobilidade Urbana em Florianópolis

R$ 211 MILHÕES PARA MOBILIDADE URBANA
O Ministro das Cidades , Gilberto Kassab, liberou integralmente os R$ 211 milhões solicitados por Florianópolis para os projetos do Pacto da Mobilidade (apesar de todos os cortes da União). Uma grande notícia para a cidade !


BIBLIOTECA PÚBLICA DO ESTADO DE SC


A criação da Biblioteca Pública de Santa Catarina remonta ao ano de 1854, quando o então presidente da província João José Coutinho sancionou a Lei nº 373 de 31 de maio daquele ano. Todavia, apesar de criada em 1854, somente em 9 de Janeiro de 1855 é que foi oficialmente inaugurada.
Para alguns historiadores, a Biblioteca Pública de Santa Catarina é considerada a terceira mais antiga do Brasil. Está instalada no prédio atual desde 1979, tendo como missão manter, conservar e desenvolver a memória cultural do estado e promover a divulgação da cultura em geral, incentivando o hábito da leitura.
A Biblioteca Pública do Estado funciona desde 1999, como Depósito Legal através da Lei nº 11.074 de 11 de janeiro, que torna pública a obrigatoriedade de editoras e escritores catarinenses de doar um exemplar de cada obra impressa para o acervo da BPSC. O objetivo dessa lei é o de assegurar o registro e preservar, através da guarda de publicações, a memória do Estado de Santa Catarina.
Atualmente a Biblioteca conta com um acervo de grande volume, com títulos de diversas áreas do conhecimento e das inúmeras formas de produção literária, além da coleção de periódicos, audiovisuais, microfilmes entre outros materiais informativos, que abriga a memória bibliográfica e documentária de Santa Catarina.
Tem por finalidade a prestação de serviços públicos de leitura, informação de boa qualidade a toda população, promovendo o acesso amplo, democrático e universal aos registros de expressão humana em sua diversidade e popularidade. Contribuindo para o desenvolvimento cultural e intelectual das comunidades e para o exercício da cidadania. Para cumprir sua finalidade, a Biblioteca Pública é aberta a todos os cidadãos, no campo das ciências, das artes, das letras e da cultura. É um espaço vivo e dinâmico de atividades informativas e culturais.
É muito freqüentada e está localizada na área central da capital catarinense, na Rua Tenente Silveira, 343. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h15min, e sábados, das 8h às 11h45min.

Memória Catarinense

Quero parabenizar ao bibliotecário ALZEMI MACHADO e seu auxiliar AUGUSTO MENDES, acadêmico e bolsista da UDESC (Projeto Nota 10), pelo trabalho fantástico de resgate da memória catarinense que estão relizando na Biblioteca Pública do estado de SC. Alzemi Machado já digitalizou 50 mil páginas de 848 jornais catarinenses. Até o final de 2015 todos os jornais do século 19 terão sido recuperados.

ESTAMOS CONTIGO, MAJU !!!!

Maria Julia Coutinho, nossa querida "Maju" :
Eu e minha esposa somos teus telespectadores diários na tarefa talentosamente bem desempenhada de "mulher do tempo". Queremos ser fraternamente solidários contigo neste estúpido ataque racista do qual foste vítima hoje(sexta-feira, 3/7) pelas redes sociais por parte de mentes doentias. És competente, simpática e linda.
Que Deus te abençoe !
Pizarro e Vera Maria


PRIMEIRO JOGO NOTURNO EM SANTA CATARINA


O primeiro jogo de futebol com luz artificial em Santa Catarina ocorreu no dia 22 de julho de 1934 em Tijucas, cidade distante cerca de 50 quilômetros de Florianópolis.
O Sport Club Tijucas recebeu a visita do Clube Náutico Marcílio Dias, de Itajaí.
Um festival esportivo, iniciado às 14 horas, reuniu equipes da cidade e região. Uma comissão de colaboradores instalou barracas com bebidas, doces, churrascos e até um tablado para dança ao ar livre.
A partida de honra começou às 21 horas. O clima era animado e o público superava a marca de mil pessoas, uma multidão para a pequena comunidade de Tijucas. Até um peru foi arrematado em leilão.
As duas equipes entraram em campo sob aplausos do público. A iluminação não era nenhuma maravilha e os goleiros quase não conseguiam ver a trave adversária. Em dez minutos de jogo o Sport Club Tijucas faz 2 a 0, gols de Antenor e Sebastião.
Depois disso, a equipe perdeu-se em campo. Muitos jogadores tijuquenses haviam consumido muita bebida alcoólica durante a tarde e estavam embriagados. O Marcílio Dias percebendo isso partiu pra cima e conseguiu virar o placar para 6 a 2.
O Tijucas atuou com Lauro, Pedro, Lídio, Nerval, Neves (Borgia), Joca Rosa, Flores, Zequinha, Sebastião, Joquinha e Antenor. O nome do árbitro e a escalação do time vencedor não foi registrada.
Este foi um dos mais memoráveis momentos do futebol tijuquense. A cidade já teve muitas equipes e a proximidade com Florianópolis, Itajaí, Brusque e Blumenau, facilitou o intercâmbio entre as equipes.
CLUBES DE TIJUCAS
Os primeiros clubes surgiram entre 1914 e 1919: Guarani FBC, Benjamim Galloti FBC, Tijuquense e Brasil Esporte Clube. Este último foi o primeiro time da cidade a disputar o campeonato catarinense em 1928. Mais tarde, SC Tijucas, Lopes Vieira e Tiradentes também ganharam destaque na história do futebol de Tijucas.
A cidade também tem tradição no futebol amador. Equipes como Renascença, Joaia, XV de Novembro, Praça, Areias, Santa Helena, 5 Estrelas e Guarani de Morretes, mantêm a tradição do bom futebol no município.
FONTE :
http://fube.sc.gov.br/…/historia-do-futebol-no-vale-do-rio-…


A estudante Magridt Besen, 25 anos, tem todos os dias um destino certo, além da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde estuda Letras: algum semáforo bastante movimentado de Florianópolis. Acompanhada de seu violino, ela tem exatos 60 segundos para mostrar aos motoristas parados a sua arte e, como recompensa, embolsar uns trocados. Entre as músicas clássicas que compõem o vasto repertório de Magridt, ela destaca o ritmo irlandês: — Essa aqui é minha música da sorte, que faz parte do folclore da Irlanda — diz sorridente, enquanto toca para a reportagem do Hora de Santa Catarina na manhã desta sexta-feira, 3, no semáforo em frente ao Shopping Iguatemi, no bairro Santa Mônica. Violinista acredita na difusão da música clássica nos semáforos de Florianópolis

A estudante Magridt Besen, 25 anos, tem todos os dias um destino certo, além da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde estuda Letras: algum semáforo bastante movimentado de Florianópolis. Acompanhada de seu violino, ela tem exatos 60 segundos para mostrar aos motoristas parados a sua arte e, como recompensa, embolsar uns trocados. Entre as músicas clássicas que compõem o vasto repertório de Magridt, ela destaca o ritmo irlandês:
— Essa aqui é minha música da sorte, que faz parte do folclore da Irlanda — diz sorridente, enquanto toca para a reportagem do Hora de Santa Catarina na manhã desta sexta-feira, 3, no semáforo em frente ao Shopping Iguatemi, no bairro Santa Mônica.
A estudante Magridt Besen, 25 anos, tem todos os dias um destino certo, além da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde estuda Letras: algum semáforo bastante movimentado de Florianópolis. Acompanhada de seu violino, ela tem exatos 60 segundos para mostrar aos motoristas parados a sua arte e, como recompensa, embolsar uns trocados. Entre as músicas clássicas que compõem o vasto repertório de Magridt, ela destaca o ritmo irlandês:
— Essa aqui é minha música da sorte, que faz parte do folclore da Irlanda — diz sorridente, enquanto toca para a reportagem do Hora de Santa Catarina na manhã desta sexta-feira, 3, no semáforo em frente ao Shopping Iguatemi, no bairro Santa Mônica.
DIARIOCATARINENSE.CLICRBS.COM.BR