segunda-feira, 13 de abril de 2009

BRASIL SE PREPARA PARA LIBERAR A MACONHA !...É O FIM DO MUNDO !



Uma adesão ilustre reacende a discussão pela liberação do consumo da maconha no país. Aos militantes históricos da causa, como o deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ), juntou-se o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, um dos coordenadores da Comissão Latino-Americana sobre Drogas e Democracia — ONG formada por intelectuais e líderes de peso no cenário latino-americano, como os também ex-presidentes do México Ernesto Zedillo e da Colômbia César Gaviria.

A ONG apresentou a proposta na Comissão de Entorpecentes da ONU, em Viena, na Áustria, que decidiu manter a política de "guerra às drogas" articulada com ações de saúde pública e redução de danos.

O tema retoma um debate antigo (e explosivo): o Brasil deve continuar apostando na repressão, política que tem nos EUA, na Rússia e no Japão seus principais expoentes, ou seguir o caminho de países europeus, como Holanda, com legislação liberal em relação ao consumo de entorpecentes?

Desde 2006, usuários de drogas ilícitas não são encarcerados quando flagrados consumindo entorpecentes — embora submetam-se ao constrangimento de ir para delegacia, responder na Justiça e, quando condenados, deixam de ser primários. A medida, portanto, seria incapaz de esvaziar prisões. Mas, sustentam os adeptos, ocorreria um avanço no trato do tema.

— Não estamos propondo a legalização, isto é, não achamos que a sociedade deva dar uma sanção positiva ao uso da maconha. Estamos dizendo que a maconha faz mal, mas os usuários, em vez de irem para a cadeia, devem ser tratados pelos sistemas de saúde — diz Fernando Henrique.

Defensor há duas décadas da descriminalização da maconha, Gabeira destaca a necessidade de "reformar a polícia" para que uma visão liberal tenha êxito:

— Onde houve liberação, ao contrário do que se pensa, não existiu afrouxamento, mas sim, controle mais sofisticado. Daí a importância da polícia.

Ex-colega de Gabeira na Câmara dos Deputados, o consultor em segurança pública Marcos Rolim defende uma proposta intermediária — um passo adiante à liberação do usuário e um atrás da produção e da venda regulamentados pelo Estado.

— Defendo a descriminalização da droga. Ninguém seria preso ao ser flagrado transportando maconha porque não seria crime, o que não significa a sua legalização. Algo como ocorre com o santo-daime, um chá alucinógeno, fortíssimo, consumido entre os indígenas e que espalhou-se pelo país. Ninguém é preso pelo consumo ou transporte do santo-daime, mas tampouco o chá é encontrado em farmácias — explica Rolim.

Psiquiatra adverte para um maior consumo de drogas

Pesquisador do pós-graduação em Ciências Criminais e em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, o sociólogo Rodrigo de Azevedo tem uma certeza:

— É um erro achar que a forma de conter o consumo seja criminalizando a droga. As experiências de redução de danos são mais efetivas do que a criminalização, como mostram algumas experiências na Europa.

Em meio à discussão, autoridades afirmam que a liberação do uso da maconha acarretaria numa legião de novos dependentes químicos. Coordenador da Unidade de Dependência Química do Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre, o psiquiatra Sérgio de Paula Ramos diz:

— Se você descriminalizar, vai aumentar o consumo da maconha e de outras drogas como cocaína e crack.

Adepto da erradicação do álcool entre adolescentes, o psiquiatra lembra que o Brasil é signatário de um documento na Organização Mundial da Saúde (OMS) para redução do consumo global das drogas.

— Como um país signatário vai propor que se libere o consumo? — questiona Ramos, antes de criticar o ex-presidente:

— Acho que o Fernando Henrique estava com pouca luz sobre ele no verão e resolveu soltar um factoide para voltar à mídia.
**********************************************
FONTE : jornal ZERO HORA, edição de 11/04/2009.

21 comentários:

Adrielly Soares disse...

os meninos da faculdade vão adorar, comércio livre dentro do campus. oO

J. B. Ziegler disse...

Não sou usuário de quaisquer drogas, mesmo aquelas liberadas, como aqueles vendidos em drogarias e nos bares ou mercados, inclusive para menores sem o menor pudor, mas sou favorável a liberação das drogas, uma vez que se sabe, quem consome não está nem ai. Aliás se corrigiria um disparate na lei, onde consumir é legal, ou ao menos não é ilegal, e verder é crime. Diminuiria a violência.
Abraço Professor.

Ana disse...

Acho que discriminalizar tem, sim, aspectos positivos.
Mas, no nosso país tudo pode surtir efeito contrário!
Há muito que ser discutido, ainda!

Danni disse...

James!!

Muito obrigada pela visita ao meu blog. Sábias palavras... Adorei tudo que tu escrevestes!
E é verdade mesmo, estamos num mundo cheio de pilantragem... :(

Beijos e tbm gosto do teu blog!

Liciane Brun disse...

Te confesso que me surpreendi com o seu comentario no meu blog. Fazia tempo que não recebia comentarios,e podes ter certeza que foi um estímulo para eu continuar com o blog! Obrigada pela visita prof.!!
Já fuxiquei teus dois blogs, e vou adicioná-los na minha lista. Abraços e sucesso!! Lici Brun.

aminhapele disse...

Como sabes,meu amigo,sou favorável à liberalização do consumo de drogas leves.Não sou,nem nunca fui consumidor.
Creio que as energias da repressão devem ser concentradas na produção e no tráfico.
Tenho assistido ao que se passa na Europa.Normalmente é referida a Holanda.Esquecem-se quase sempre da Suíça e dos seus métodos,talvez mais liberais que os holandeses,e que tem tido resultados espectaculares.
Um abraço.

__danika disse...

A canabis(é o nome ciêntifico da maconha) é uma planta como outra qualquer. as mortes que a "maconha traz" é consequencia do trafico, com a liberação acabaria o trafico pq não tem pq traficar uma coisa liberada, o trafico é que mata as pessoas, a canabis é usada como planta medicinal em diversos paises, pois ajuda com o stress, anemia, aids e até mesmo o câncer. A maconha usa de forma correta é um grande avanço, e não precisa ser necessariamente fumando, pode-se fazer chá dela. e assim como já foi falado Deus criou o mundo e a maconha tbm foi criada com ele, então é uma planta de Deus, essa foi para os religiosos :D
A liberação não quer dizer que vai aumentar o consumo, mas sim vai parar de fazer as pessoas se sentirem envergonhadas por fumar, tanto que o cigarro é muito pior, ele contem mais de 40.000 produtos quimicos, enquanto a maconha é apenas a folha. o alcool altera as pessoas num nivel maior que maconha, e é incrivel, os dois são liberados, e pq a maconha não?

JAMES PIZARRO disse...

RECEBIDO POR E-MAIL DO "BLOG DO SARDINHA"
***********************************
Terça-feira, 19 de Maio de 2009
No. 107 – COLUNA DO SARDINHA
CANABIS SATIVA

Um dos obstáculos que o Brasil enfrenta para tornar-se um país plenamente desenvolvido – que a mídia estupidamente chama de “primeiro mundo” - estúpido, porque primeiro mundo deveria ser o nosso país; segundo, terceiro seriam os “outros” – reside justamente no fato de sermos “estrangeiros” dentro da nossa própria terra.
Principalmente, após à metade do século passado, os movimentos migratórios, por motivos vários, sobretudo financeiros, tornaram-se febre no país, com grande parte da população deslocando-se em busca de novas oportunidades de vida e deixando para traz suas raízes.
Isto teve aspectos positivos, que no entanto, não superam os negativos. A migração desenfreada quebra o vínculo do homem à terra, tornando-o um estranho em terras alheias e quebrando o ciclo de apreensão cultural.
Cultura não é propriamente o freqüentar escolas. Quando os governos promovem escolarização em massa, descuidando da qualidade em beneficio da quantidade, não estão “a priori” difundindo cultura, mas apenas e muito mal, promovendo uma pequena parte dela.
Cultura é o acúmulo de informações que nos são transmitidas no correr dos tempos, de dias e até séculos. É o saber ser.
A forma como estamos difundindo o conhecimento no Brasil aliada à pouca escolaridade da média dos brasileiros, tornam-no um país onde a ignorância encontra campo fértil e impera.
A ignorância não vem só, traz consigo como companheira inseparável e sua conseqüência mais direta, a pobreza, não só financeira mas também espiritual, para fazer parte desse explosivo quadro, onde a corrupção, o uso e o tráfico de drogas de maior ou menor potencial e a criminalidade em geral, com ênfase nos crimes contra o patrimônio correm soltos.
A pobreza, a ignorância e seus sub-produtos deveriam ser tratados como questões de Estado, gozando de tratamento prioritário. A eles somaríamos ainda, que deveriam ter tratamento igual, como questões de saúde pública, o uso do álcool e do cigarro.
Como o Estado está pouco se lixando (termo muito em voga) para tais questões, que deveriam ter um tratamento preferencial, o Sr Ministro do Meio-Ambiente que pouco ou nada está fazendo pelo ar puro, tem o desplante de comparecer a uma marcha pela legalização da maconha e fazer uso da palavra, defendendo-a!
Quer dizer, o Brasil já tem problemas sérios com a ignorância, a pobreza, a saúde, com cigarro e álcool e agora vai inventar mais um, qual seja tratar os “nóias”, vitimas da maconha liberada.
Ora, senhor Ministro use sua mente poluída para coisas mais úteis e não dê vazão às suas frustrações.
A fumaça da maconha não só embota o cérebro dos viciados e de ministros desocupados, como também degrada o meio-ambiente com sua névoa assassina.
Já que nossa falta de cultura não nos permite salvar o ar que respiramos, que pelo menos sirva para nos livrar de ministros inconvenientes, estranhos à realidade nacional e defensores de idéias abstrusas.
Luiz Bosco Sardinha Machado

http://www.colunadosardinha.blogspot.com/

Anônimo disse...

A MACONHA, CRACK, COCAINA OU QUALQUER TIPO DE DROGA DEVE SER COMBATIDA DE TODAS AS FORMAS E meios, sem hesitação. O SER HUMANO PRECISA DE FREIOS PARA VIVER E SE LIBERAR, ESTRAGA TUDO. DEPOIS NAO VENHAM ME DIZER QUE NAO AVISE. A FAVOR DA VIDA, ABAIXO A MACONHA E QUALQUER DROGA. vAMOS QUEIMA-LA. NÃO PRECISO DELA PARA VIVER MELHOR.pela liberdade agora e já.

x_tyle disse...

Nossa, quanto facismo:"O ser humano precisa de limitações", ,afê...
Os traficantes são contra a legalização.
Basta pensar um pouco e chegar aconclusão que a lei favorece o crime.
Na época da lei seca nos EUA, Chicago viveu o período mais violento da história, gangster surgiram para dominar o tráfico de bebidas
Gente, estamos quase em 2010, século XXI. ACORDEM!!

JAMES PIZARRO disse...

a)- ainda bem que tua observação é a respeito de um comentário feito à minha postagem e não ao que postei, razão pela qual o teu comentário seria melhor dirigido à autora do comentário "o ser humano precisa de limitações";

b)- como sou um democrata e não um fascista, assumo o que escrevo e aceito comentários anônimos, como o teu caso (que parece ter criado o "x tyle" apenas para postar teu comentário, uma vez que lá não existe nada que te identifique...de sorte que, mesmo apócrifo, publiquei teu comentário;

c)- para respeitar a nossa tão agredida língua portuguesa, te faço uma observação : a palavra fascismo tem um "S" antes do "C";

d)- apenas para exercício intelectual : dá uma lida nesse link http://www.olavodecarvalho.org/semana/fascismo.htm e reflete se o sentido que quiseste dar à palavra fascismo em teu comentário corresponde exatamente à verdade.

e)- a propósito da liberação do álcool há décadas atrás : 90 % das internações hospitalares hoje EM TODAS AS CLÍNICAS PSIQUIÁTRICAS e em TODOS OS PAÍSES DO MUNDO são de dependentes do álcool que, juntamente com o tabagismo, constituem - segundo a Organização Mundial da Saúde" - as "causas mais previsíveis de morte no mundo moderno". Tudo porque há décadas atrás eles também pensavam como tu, isto é, "acordaram" e liberaram tudo. Se liberarem a maconha hoje, a droga de eleição próxima vai ser a cocaína e assim por diante (isto está nos manuais de psiquiatria, basta ler). A própria Holanda voltou atrás em sua liberalização, pois a criminalidade e o número de dependentes aumentaram.

Abraço fraterno

James Pizarro

Anônimo disse...

A maconha fais mal sim,mais proibila só a faz mais popular e atrativa. acho que devia ser Liberada, mais tratada como as outras drogas licitas como alcool e cigarro, não podendo ser consimida no trabalho e em outros locais onde o ser humano deve estar 100% operante

Anônimo disse...

Quando existia a lei seca, nos EUA, nunca se bebeu tanto por lá. A maior droga é a proibição, que além de incentivar, ainda gera corrupção, propina e alimenta o 'lado escuro da força'. Liberando para que usuários plantem em casa, com certeza acabaria com uma boa parcela do dinheiro sujo. O dinheiro sujo gerado pela proibição é que alimenta grande parte da corrupção no país.

Agora eu queria ver: se existisse uma lei que promovesse exames antidoping em POLICIAIS e POLÍTICOS (de surpresa), de maneira que fossem impedidos dos seus cargos (exonerados) se achassem traços de cocaína no sangue, creio que não sobrariam muitos. Policial nenhum gosta quando se fala disso, pois sabem o que fazem.

Espero que nossa geração possa ver a proibição da maconha cair por terra.

Anônimo disse...

Bom bem que a maconha poderia ser liberada assim acabaria com essas mortes essas coisas que tem por ae...
So que tem uns ae que nao sei o que que tem na cabeça em dizer ''nao a maconha'' que coisa porque la pra cima é liberado e aqui nao pode ser tinha que ser liberado e logo isso ainda ia ter um grande aumento em dinhero pro estado e coisa e tal mas so q tinha q se vendido num lugar adequado...
ENTAO IBEREM ISSO LOGO NAO DA MAIS PRA FICA ESCONDENDO ISSO QUE COISA.

Anônimo disse...

Vivo nos Estados Unidos e morro de vergonha quando leio algumas noticias sobre o Brasil. Agora tem mais esta para me envergonhar ainda mais: Legalizacao da Maconha!! Esses brasileiros que estao fazendo estas manifestacoes em prol da legalizacao da Maconha deveriam era criar vergonha na cara. Fico indignada quando vejo estas manifestacoes. Deveriam era estar fazendo manifestacoes em prol da melhoria das estradas brasileiras, em prol do fim da violencia, manifestacoes pedindo seguranca publica, mais emprego, mais saude, mais educacao, lamentavelmente o que nao falta neste Brasil sao motivos reais para manifestacoes. Agora, Maconha??? Ate quando este Brasil vai continuar dormindo? Desperta deste berço esplêndido gigante adormecido!!!

PS: Escrevo sem acentos e pontuacao porque meu teclado é americano…!!

Anônimo disse...

Vivo nos Estados Unidos e morro de vergonha quando leio algumas noticias sobre o Brasil. Agora tem mais esta para me envergonhar ainda mais: Legalizacao da Maconha!! Esses brasileiros que estao fazendo estas manifestacoes em prol da legalizacao da Maconha deveriam era criar vergonha na cara. Fico indignada quando vejo estas manifestacoes. Deveriam era estar fazendo manifestacoes em prol da melhoria das estradas brasileiras, em prol do fim da violencia, manifestacoes pedindo seguranca publica, mais emprego, mais saude, mais educacao, lamentavelmente o que nao falta neste Brasil sao motivos reais para manifestacoes. Agora, Maconha??? Ate quando este Brasil vai continuar dormindo? Desperta deste berço esplêndido gigante adormecido!!!

PS: Escrevo sem acentos e pontuacao porque meu teclado é americano…!!

Bruno Infante disse...

Eu nao acho que a maconha traga algum problema, é claro que como qualquer outra erva se usada sem moderaçao vai fazer mal.

Isso fais parte da nossa sociedade, do nosso povo, o PRÉ-CONCEITO, é um ato irracional descriminar sem expirementar. Pensem voces que ja tem filhos, quando seus filhos olham pra voce e dizem
-Pai, nao gosto disso, isso e ruim
Voce vira e responde,
-Mais voce numca experimentou como sabe que nao gosta ?.
É exatamente oque voce esta fazendo

Quando andamos com maus elementos nós somos descriminados sem nem ao menos sermos conhecidos, o mesmo acontece com a cannabis.

Eu vejo a maconha como uma boa criança que so esta mal acompanhada (cocaina,crack,lolo etc.) por falta de opçao.

Pense bem, cannabis nao fais muito esse tipo de droga,quando voce viu alguem que depois de experimentar, perdeu a cabeça e virou "noia" morador de rua por causa dela ?.

Jonathan Júnior disse...

A Holanda somente proibiu o uso da maconha para turistas estrangeiros, para evitar o turismo voltado para esses fins. Também acho um erro comparar cocaína com maconha. Já que do ponto de vista toxicológico, psicológico e cultural, tem pouco em comum.
As medidas tomadas para modificação do código penal, à grosso modo, mostram três grandes benefícios. Identificação de que a droga é um problema de saúde pública no Brasil, colocando o usuário como um paciente de dependência química; Desvinculação do usuário com o tráfico (caso seja liberada sua venda) tendo um menor contato com outras fontes de drogas; Medidas penais e executivas para combater o foco do tráfico, os grandes distribuidores de drogas e armas. Assim a polícia deixa o antigo objetivo de prender usuários ou vendedores de pequeno porte e passa a se preocupar com os grandes vilões da sociedade brasileira, que causam terror e desordem. É encarar o problema em sua raiz.
A alteração também define que o consumo continuará qualificado como crime quando ocorrer na presença de crianças ou adolescentes ou nas proximidades de escolas e outros locais com concentração de crianças e adolescentes.

Também é arriscado tirar conclusões baseadas na opinião de uma quantidade pequena de profissionais da área. Respeitando o conhecimento e experiência dos mesmos, pesquisas recentes, apontam um cenário muito menos catastrófico ou até positivos se observarmos o parecer da medicina.

Minha grande preocupação é como o brasileiro vai se comportar já que os dados coletados representam populações com um nível socioeconômico bem diferente do nosso.

De qualquer forma, acho uma grande honra, observar um assunto tão novo e polêmico ser discutido no Brasil de forma inteligente.
Independente da ideologia sobre o assunto, todos nós estamos progredindo para uma sociedade, de fato, democrática.

Anônimo disse...

Legall... agora os traficantes vão vender mais... a galera "zen" que gosta da natureza mais não gosta do ser vivo, o ser humano, agora vocês podem ajudar os traficantes porque quem vende maconha? quem financia os roubos assaltos? os traficantes, então o pessoal "zenn" vai botar mais dinheiro na mão deles e então vira um circulo, você "zen" compra a maconha do traficante e com dinheiro ele compra uma arma que é a mesma que vai matar tua mãe ou teus filhos... LEGALLLLL BANDO DE OTARIO! Geração de burros achando que isso é liberdade.. liberdade é poder fazer o que quiser, mais sem prejudicar os outros... sociedade.

maicon rieck disse...

eu não comcordo com os argumentos apresentados !
pois vc acha mesmo que liberando o consumo da maconha vai desencadiar
um almento de viciados em crak e cocaina ..simto muito em le informar, que a maioria das pessoas que fuma maconha não não consomem crak nem cocaina ,,, penso que vcs estão muito mal influenciados,por que falam e falam da maconha mas muitos nunca fumaram um baseado mas mesmo assim enchem a boca p/ fala que maconha faz mal não presta ,,,eu queria que vc me dissece quantas pessoas, vc já ficou sabendo que morreram por consumirem maconha ,,,agora para e pensa quantas pessoas morrem por ano pelo cigaro,alcool,etc
repensem seus conceitos,, abrass
passar bem ,,,

jota disse...

Não consigo entender porque algumas religioes sao mais favorecidas do que outras.o Santo Daime e um cha alucinogino ou seja deixa as pessoas doidonas chapadas,mas e liberado para fins religiosos.Porque a maconha nao pode ser liberada para fins religiosos como no rastafari.Santo daime pode,maconha não.ou libera ou proibe as duas.OS DIREITOS SAO IGUAIS PARA TODOS.