terça-feira, 15 de abril de 2014

POBRES ALUNOS DA ESCOLA JACÓ ANDERLE (ESCOLA JOVEM) !!! - James PIZARRO

 No início da semana que hoje finda (11/4/2014) assisti ao "Jornal do Almoço" da RBS TV de Florianópolis. Fiquei atento à principal matéria da edição : falta de professores do Ensino Médio em escolas estaduais da cidade.

Em especial, fiquei comovido com as declarações dos alunos da Escola Jacó Anderle (Escola Jovem), da Var...gem Grande, principalmente os que cursam o terceiro e último ano e são, portanto, os vestibulandos da escola. Uma das meninas, corajosamente reclamou e, entre outras coisas, disse :

- Que chance teremos de concorrer com alunos de outras escolas se, DESDE O INÍCIO DO ANO, não temos professor de Biologia ?

Imediatamente me ocorreu a idéia de me oferecer para dar aulas de Biologia para os alunos, de forma voluntária, gratuita, uma espécie de aulas de macetes ou dicas de Biologia para suprir a lacuna, aproveitando meus 44 anos de docência na UFSM e em cursos pré-vestibulares do RS.

Liguei para a Secretaria Estadual de Educação de SC (telefone 3664.0200) e expliquei o porquê do meu telefonema. A professora que atendeu me disse que quem tratava deste tipo de assunto ainda não havia chegado (passavam das 10h), mas que ela me daria um e-mail onde eu poderia escrever as minhas intenções. Eu repliquei dizendo :

- Acho que o interesse é da Secretaria e peço que a senhora anote meu telefone e quando a pessoa encarregada chegar me telefone dizendo se há interesse.

Até hoje ninguém me ligou.

Como sou insistente, resolvi ligar diretamente para a direção da Escola Jacó Anderle. A professora que se identificou como diretora, gentilmente me disse o seguinte :

- Aula como professor normal de Biologia, mesmo de graça, o sr. não poderá porque há implicações jurídicas de vínculo trabalhista. O que o sr. pode fazer é elaborar um projeto para dar aulas de revisão no contraturno para alunos que manifestem interesse em assistir. Eu encaminharei o seu projeto para as autoridades da secretaria e eles decidirão se é viável.

Eu argumentei a ela que era um professor universitário, aposentado do MEC _ Ministério de Educação e Cultura, com 44 anos de docência, agrônomo, pós-graduado, etc...Fiquei de mandar o currículo para ela, o que fiz dez minutos depois.
Ainda argumentei que a única coisa que eu queria era que me buscassem e trouxessem em casa, pois não tenho carro. E que poderia assinar um documento dizendo que abria mão de qualquer tipo de remuneração ou futura ação trabalhista.

Até hoje ninguém me respondeu ao e-mail e nem ao telefonema.

Hoje, ao fazer a barba, juro que vi na minha cara um nariz de palhaço.
RRO

No início da semana que hoje finda (11/4/2014) assisti ao "Jornal do Almoço" da RBS TV de Florianópolis. Fiquei atento à principal matéria da edição : falta de professores do Ensino Médio em escolas estaduais da cidade.

Em especial, fiquei comovido com as declarações dos alunos da Escola Jacó Anderle (Escola Jovem), da Var...gem Grande, principalmente os que cursam o terceiro e último ano e são, portanto, os vestibulandos da escola. Uma das meninas, corajosamente reclamou e, entre outras coisas, disse :

- Que chance teremos de concorrer com alunos de outras escolas se, DESDE O INÍCIO DO ANO, não temos professor de Biologia ?

Imediatamente me ocorreu a idéia de me oferecer para dar aulas de Biologia para os alunos, de forma voluntária, gratuita, uma espécie de aulas de macetes ou dicas de Biologia para suprir a lacuna, aproveitando meus 44 anos de docência na UFSM e em cursos pré-vestibulares do RS.

Liguei para a Secretaria Estadual de Educação de SC (telefone 3664.0200) e expliquei o porquê do meu telefonema. A professora que atendeu me disse que quem tratava deste tipo de assunto ainda não havia chegado (passavam das 10h), mas que ela me daria um e-mail onde eu poderia escrever as minhas intenções. Eu repliquei dizendo :

- Acho que o interesse é da Secretaria e peço que a senhora anote meu telefone e quando a pessoa encarregada chegar me telefone dizendo se há interesse.

Até hoje ninguém me ligou.

Como sou insistente, resolvi ligar diretamente para a direção da Escola Jacó Anderle. A professora que se identificou como diretora, gentilmente me disse o seguinte :

- Aula como professor normal de Biologia, mesmo de graça, o sr. não poderá porque há implicações jurídicas de vínculo trabalhista. O que o sr. pode fazer é elaborar um projeto para dar aulas de revisão no contraturno para alunos que manifestem interesse em assistir. Eu encaminharei o seu projeto para as autoridades da secretaria e eles decidirão se é viável.

Eu argumentei a ela que era um professor universitário, aposentado do MEC _ Ministério de Educação e Cultura, com 44 anos de docência, agrônomo, pós-graduado, etc...Fiquei de mandar o currículo para ela, o que fiz dez minutos depois.
Ainda argumentei que a única coisa que eu queria era que me buscassem e trouxessem em casa, pois não tenho carro. E que poderia assinar um documento dizendo que abria mão de qualquer tipo de remuneração ou futura ação trabalhista.

Até hoje ninguém me respondeu ao e-mail e nem ao telefonema.

Hoje, ao fazer a barba, juro que vi na minha cara um nariz de palhaço.

Um comentário:

Ana Arndt disse...

Que ótimo saber que alguém teve interesse (e ainda por cima de forma gratuita) para trabalhar em nossa escola, pra variar nem ficamos sabendo... A Escola Jovem faz todos se sentirem com a sensação de "nariz de palhaço", desde a falta de professores até a falta de merenda e cultura. É imprescindível que algo aconteça lá, urgente, e quando tentei fazer algo a respeito do Grêmio Estudantil (que existe mas não age), eles tentaram barrar. Olha, é um absuro! Mas não desistimos; pros próximos dias vamos criar panfletos sobre a situação da escola e entregar aos alunos pra ver se ajudam a fazer algum ato. Mas, de qualquer forma, parabéns pela tua iniciativa! :-)