sexta-feira, 10 de setembro de 2010

"O ROM-ROM DO GATINHO"

O que vale no artista é a sua capacidade de captar o cotidiano.
E transforma-lo numa obra-de-arte.
Quantas pessoas teriam condições de ouvir o rom-rom de um gato e fazer uma música como Adriana Calcanhoto fez para o poema do Ferreira Gullar ?
Escrita originalmente para um público infantil, esta música ganhou também o coração dos adultos.
Eu sou um cachorreiro assumido, amo cães.
Como sempre fui honesto nos meus textos, confesso que gatos não conquistam meu coração. Embora jamais tenha tratado mal algum deles, não consigo manter relações de afeto com os mesmos.
Porque meu coração é dos cachorros.
Mas essa música da Adriana (que casou dia 9/de setembro em Paris, com Suzana Moraes, filha do poeta Vinicius de Moraes) é linda demais.
Só uma artista como Adriana poderia fazer poesia do rom-rom dos gatos.
Não interessa que esta música não esteja na mídia.
Ela está no meu coração.
Só por isso quis repartí-la com vocês.
***************************
AUTOR : James Pizarro

O gato é uma maquininha
que a natureza inventou;
tem pêlo, bigode, unhas
e dentro tem um motor.

Mas um motor diferente
desses que tem nos bonecos
porque o motor do gato
não é um motor elétrico.

É um motor afetivo
que bate em seu coração
por isso ele faz ron-ron
para mostrar gratidão.

No passado se dizia
que esse ron-ron tão doce
era causa de alergia
pra quem sofria de tosse.

Tudo bobagem, despeito,
calúnias contra o bichinho:
esse ron-ron em seu peito
não é doença - é carinho

2 comentários:

Marliborges disse...

Olá,
Eu adoro essa poesia, James, mas, salvo algum engano meu, ela é de autoria de Ferreira Gullar. A Adriana apenas fez a música.
Bjssssss

JAMES PIZARRO disse...

Equívoco corrigido.
No site que consultei primeiramente a informação era de que letra e música eram dela.
Depois do teu gentil e-mail consultei outros.
Bj

James Pizarro