sábado, 22 de novembro de 2008

" LUGARES COMUNS (PENSO, LOGO ENCHO) "


" Algumas coisas vêm inquietando minha mente. E quando pensei em organizá-las para escrever, percebi que eram uma infinidade de coisas comuns, sem grande valor. Mas a vida é feita de lugares-comuns, pessoas e momentos comuns em sua quase totalidade. E o que me inquieta é ver todo mundo buscando aquilo que nem sabe o que é. Pessoas mostram orgulhosas o carro onde passam dezenas de horas toda a semana. Trancadas com os filhos indo e vindo. Como ratinhos que esqueceram que entraram no labirinto só pra buscar um pedaço de comida e SAIR. Esqueceram que existe um "lá fora". Uma vida para ser vivida mesmo que só de lugares-comuns.
Todas as pessoas começaram a parecer movidas pela culpa. E sempre fugindo daquilo que mais amam. Não se permitem fartar dos doces da alegria. Das brincadeiras e convívio com os filhos. Agem como se estivessem num jogo cujo inimigo é invisível. É uma neurose coletiva. Todos correm. Não sabem para onde nem o porquê!
Se perguntarmos a 100% dos pais e mães o que lhes é mais importante, dirão que são seus filhos. No entanto, uma grande parcela vive para fugir dos próprios filhos. Vive pra ganhar dinheiro. Para pagar babás. Para pagar aulas extras. Escolas integrais. E tudo o mais que os faça ficar bem distante da culpa e também das... crianças. Pais e mães que se sentem culpados em "jogar tempo fora" com os filhos. Porque assim serão menos ocupados e importantes que os demais. Muitos filhos têm me dito: "minha mãe NAO TEM TEMPO...tempo de descer comigo na escola, de me trazer, de vir a reuniao, de brincar." Esses filhos até me isso dizem com certo orgulho nos lábios...pois já estao se dirigindo para a porta do mesmo labirinto que os pais.
O grande desafio da vida e do seu jogo é decifrar esse enigma. Consumir menos. Viver mais. Ter mais tempo para viver o que mais ama. Amar o seu corpo. Não porque ele é belo. Mas porque é fonte de prazer. Amar seus filhos. Não porque são os mais perfeitos. Mas porque são os que mais amam e valorizam a tua presença acima de tudo. Amar a sua casa, aquela que voces tanto sonharam .... os presentes, as quinquilharias das quais agora voces fogem, pagam alguém para não precisar confrontar-se com aquilo que adquiriram. Brincar. Observar os filhos. Aproveitar o seu corpo ainda que imperfeito. Gostar da sua vida. Da sua casa. Da vida que você tanto corre para conquistar!
Saia do labirinto. Não se contente com as migalhas que te oferecem...não esqueça que por trás das paredes do carro, do escritório, da fábrica, da loja, do consultório existe uma vida comum inteira para ser saboreada sem pressa. A vida não é uma competição de quem sofre mais. Permita-se fartar de vida, vida comum, refletindo sobre o que faz com o tempo que lhe é dado. Há saída ! Basta que você queira encontrá-la ! "
*******************************************
AUTORA : Cristina Pizarro Bonanni (Fisioterapeuta em Itajubá, sul de MG)

2 comentários:

Adrielly Soares disse...

"Não se contente com as migalhas que te oferecem..."

Ás vezes eu preferia me contentar com as migalhas que ficar procurando sempre de onde tirar mais.
Entende?
Um beijo

A Senhora disse...

Quando os meus meninos nasceram nós optamos por eu ficar fora do mercado de trabalho e me dedicar aos dois moleques. Hoje, quando um está com 13 e outro com 11 anos, prontos para começar a bater asas e correr atrás de um rabo-de-saia, me preocupei com a maldita síndrome do ninho vazio e corri para a faculdade e fiz mais um curso e já me preparo para a pós. Então, num belo dia, quando os dois estão nessa fase de hormônios pululando e testanto os seus limites, e eu fazendo trabalhos de faculdade, escuto: você abandonou seus filhos!
Nessas horas, o sentimento que se tem é que tudo o se fez, toda a dedicação, todo o tempo dado, não valeram absolutamente nada.
Graças a Deus que nào foram meus filhos que disseram isso e nem meu marido! E quando olho para eles, viajando sozinhos, sei que valeu a pena.
Agora vou eu pegar a mala, porque a minha vez de viajar sozinha! :)


PS: Pô, JP! se você monitora os comentários antes de publicá-los, tira essas letrinhas de verificação. Eu sempre me enrolo com elas! :)