sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

CANASVIEIRAS : MORTE ANUNCIADA

Durante o ano, Canasvieiras é um paraíso para se morar. Mas na alta temporada, principalmente nos meses de janeiro e fevereiro, transforma-se num inferno.
Areia cheia de bitucas de cigarro. Papéis. Embalagens plásticas. Palitos de madeira dos queijinhos assados e picolés. Latas de cerveja. Sabugos de milho.
E não se diga que não existem lixeiras. Porque elas existem de trinta em trinta metros. E os garis, em dupla, rastelam a praia bem cedo. Mas o povo não colabora.
Banheiros públicos não existem ao longo de toda a praia. Trinta ou quarenta mil pessoas urinando e defecando dentro da água. Águas pululando de coliformes fecais.
Turistas voltam para casa e não há água nas torneiras nem para o banho pós-praia. E nem para fazer comida. Revolta dos turistas nas imobiliárias contra a falta de água. Nos hotéis ainda existem grandes reservatórios de água. Caixas d*água que não são limpas há anos. Mas muitos hóspedes se queixam da falta de água. E do preço das diárias diante da falta de água.
Mobilidade urbana prejudicada. Estressante. Autoridades deixaram para arrumar a pista justo na época do veraneio. Formam-se engarrafamentos demoníacos. Para ir ao centro da cidade : uma hora e meia. Mais uma hora e meia para voltar. Perde-se uma manhã ou tarde para ir ao centro. Quem usa os ônibus corre o risco de tomar um tiro ou ser assaltado nos terminais rodoviários. Basta que traficantes resolvam tirar suas diferenças e discutir pontos de venda no terminal.
Fugas diárias de presos das cadeias e dos presídios. Arrombamentos. Ausência de policiamento ostensivo na praia. Os ladrões ficaram tão ousados que roubaram a casa do coronel chefe da polícia militar estadual.
Venda informal de todo tipo de alimento e produtos na praia sem que a fiscalização se faça presente de forma continuada. Milho em água quente e suja, queijo acondicionado em temperatura inadequada. O famoso "choripan", carne de procedência duvidosa assada na carrocinha e colocada dentro do pão. Pastéis. Sanduiches. Cocadas. Dezenas de nordestinos vendendo redes. E também vestidos de praia, chapéus, cangas. E milhares de óculos falsificados. E mais colares e pulseiras metálicas. Tudo ao arrepio da lei. Às vezes, não se consegue conversar na praia porque os vendedores e camelôs chegam em hordas, de trinta em trinta segundos, e o turista tem de dizer "obrigado, não quero".
Centenas e centenas de cães errantes defecando e urinando na praia, ao lado de crianças brincando. Para não falar nas madames e dondocas que passeiam com seus cães pela coleira.
Esgotos sendo lançadas diretamente na praia. Jornais publicam locais proibidos para banho. Perto do trapiche desemboca um rio de fezes e urina. Durante a noite inteira a praia é iluminada por pedras de crack incandescentes. Baderneiros gritam pelas ruas desrespeitando a lei do silêncio. Não há para quem reclamar. Ou se reclamam ou reclamaram, certamente não foram ouvidos.
Há dias em que a faixa de areia da praia desaparece. Até hoje não se implementou o famoso plano de dragagem que faria a praia aumentar de largura.
Estão matando a galinha dos ovos de ouro. Ano a ano diminui o número de veranistas. Aumenta a desocupação de hotéis e pousadas.
Noto em muitas pessoas - principalmente ligadas a interesses comerciais e empresariais - o receio de tratar abertamente desses problemas com medo de que os turistas não venham e sejam prejudicadas em seus negócios. Em outros, noto um total desconhecimento de exercício de sua cidadania e uma submissão aos que detém poder e capital. Também ainda constato em outros o medo puro e simples e a omissão como forma de comportamento, isto é, existe a turma que empurra os problemas com a barriga. E que é adepta do "vamos deixar como tá pra ver como é que fica".
Eu decidi, por escolha do meu coração, passar os últimos anos de minha vida aqui. Pois amo esta praia. Adoro esta ilha da magia. E não posso me calar diante do processo de deterioração que ela está sofrendo.
Para quem reclamar ?
O que fazer ?
**********************************
AUTOR : James Pizarro

11 comentários:

ana b. disse...

sensacional professor! usas do teu conhecimento e sabedoria para reclamar por todos nós. pelo que te conheço, tu faz tua parte todos os dias, pois és um apaixonado e respeitador da natureza. vamos ver se teu desabafo surte efeito e torne as pessoas mais conscientes, ecológica e socialmente falando. abraço.

JAMES PIZARRO disse...

RECEBIDO POR E-MAIL
*******************************
From: Ivan Marques Junqueira Rocha
Sent: Saturday, February 20, 2010 11:37 PM
To: James Pizarro
Subject: RE: CANASVIEIRAS : MORTE ANUNCIADA - James Pizarro


James

Tens razão em tudo o que escreveste neste artigo.
Lamentavelmente temos administração, estadual e municipal, que esquece que a ilha vive do turismo, que é uma industria de gasto, e por isto tem obrigação de prestar serviços qualificados especialmente de praia despoluida e saneada, ruas limpas e calçadas largas e conservadas. Comércio honesto. Restaurantes de qualidade, exigindo e fiscalizando, com rigor, seus funcionamentos, enfim civilizando nossa praia, senão ela morre mesmo. Ivan

Ana disse...

Denúncia que chega doer, de tão triste, mas absolutamente necessária.

Que as coisas mudem, urgentemente!

Este relato poderia ser aplicado à maioria das praias com grande nº de veranistas. Uma lástima!

Bernadete disse...

Professor- agradeço pela sua visita no meu blog dirfam.blogspot.com. Quando vim morar em Santa Maria/RS, no final da década de setenta, já ouvia falar no senhor e na sua luta pelo meio ambiente. Hoje foi feita uma reportagem no jornal da Globo sobre o lixo que largam nas ruas (descarte de eletrodomésticos e móveis). Este também é um problema crônico em nossa cidade, especialmente no meu bairro Dores. Acho que falta criatividade de nossos governantes para enfrentar alguns problemas ambientais. Porque não fazer um depósito municipal para que as pessoas doassem esses objetos? Serviria como forma de aquisição para os necessitados e deixaram as ruas mais limpas. Parabéns pelos blogs e pelo trabalho que continua fazendo em prol de seu ideal. Bernadete

JAMES PIZARRO disse...

RECEBIDO POR E-MAIL
*****************************
From: Portal Jurídico Investidura
Sent: Monday, February 22, 2010 10:19 AM
To: jamespizarro@hotmail.com
Subject: Publicado


Prezado Dr. James,

É com grande prazer que publicamos seu artigo, enviado pela Dra. Ana Echevengua. O link para ele é:

http://investidura.com.br/biblioteca-juridica/artigos/direito-ambiental/130542-canasvieiras--morte-anunciada.html

Agradecemos a contribuição.

Um abraço,

Ricardo Janesch
Portal Jurídico Investidura - www.investidura.com.br
contato@investidura.com.br
(48) 9932-7969
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil

JAMES PIZARRO disse...

RECEBIDA POR E-MAIL
****************************
----- Original Message -----
From: Trajano Gracia
To: "Ana Echevenguá"
Sent: Monday, February 22, 2010 10:58 AM
Subject: Re: (Fórum REBIA SUL) CANASVIEIRAS : MORTE ANUNCIADA - James Pizarro


Sr(a)s;

Enquanto os marcos regulatórios do Governo Federal, dos Governos Estaduais e as legislações municipais não descerem em nível de detalhes com punições para as atitudes individuais poluídoras e agressivas ao meio ambiente por menores que sejam, poderemos repetir indefinidamente as nossas manifestações de indignação.
Trajano Gracia
Irati Paraná

JAMES PIZARRO disse...

Li e reli, atento, a notável explicação de cunho político-sociológica feita pelo Sr. Raul Longo que serviu para me ilustrar sobre a realidade da ilha. E agradeço a generosidade do mesmo de ter escrito tão longamente sobre o tema suscitado em meu artigo, no qual procurei apenas - de coração aberto - partilhar minha angustia diante da destruição dessa ilha, um verdadeiro monumento de beleza erguido pela Natureza.
Tenho me deixado aculturar para me integrar a esta terra tão linda, tanto que há meses escrevi um artigo intitulado "Sou um Manezinho Adotivo". E tenho escrito muito sobre Florianópolis nos meus blogs para divulgação em rádios e jornais de Santa Maria, RS, onde fui professor de Ecologia na UFSM durante mais de 40 anos.
Gostaria de ter deixado mais claro no meu artigo que a motivação de tê-lo escrito foi o amor e o carinho que sinto por Florianópolis, jamais a simples crítica gratuita. Quando o Sr. Raul Longo, em sua última frase me recomenda adaptação "à nossa terra e nossa gente" me sinto tratado como estrangeiro, forasteiro que aqui vem apenas na temporada. Ledo engano, pois sou morador definitivo da ilha e, portanto, integrante da sua população. Tanto é verdade que estou providenciando a transferência do meu título de eleitor do RS para SC para com esta poderosa arma nas mãos poder votar em pessoas da terra que a amem honestamente tal qual eu já a amo.
Por derradeiro, leitor contumaz de jornais e ouvinte atento e diário de dezenas e dezenas de novos amigos que aqui fiz, já tinha feito uma radiografia política do local e esta se aproxima da realidade tão bem descrita pelo Sr. Raul Longo.
Que Deus permita novos caminhos à "nossa terra e nossa gente", onde modestamente me incluo.
Abraço fraterno

James Pizarro
www.professorpizarro.blogspot.com

JAMES PIZARRO disse...

RECEBIDO POR E-MAIL
********************************


From: LIA SARTORI
Sent: Tuesday, February 23, 2010 1:27 PM
To: jamespizarro@hotmail.com
Subject: Re: {Boletim diário EcoDebate} 23/ fevereiro/ 2010


oi James!
obrigada pela remessa do texto... está muito bom... não a situação aí da praia, e sim a denúncia....
que vergonha não é.... e gente tem jeito nesse mundo?

Perguntaram ao Dalai Lama qual o maior problema da humanidade?
ele prontamente: "os homens" ..... rsrsrsr
ainda bem que tirou as mulheres dessa....

abraços...

abraços na Vera que deve ter feito aniversário... saúde, alegrias e muita paz....
água de mar "despoluída" para vocês...
areia fina , branca e pura... sem cães.... praia não é para cães , burros são os donos que os levam....

LIA SARTORI

JAMES PIZARRO disse...

From: Ludwig Larré
Sent: Tuesday, February 23, 2010 3:44 PM
To: jamespizarro@hotmail.com
Subject: RE: {Boletim diário EcoDebate} 23/ fevereiro/ 2010


Grande professor!
Parabéns pelo corajoso artigo. Repassei para o Evandro Baron, assessor de imprensa do Governador. "Esse Pizarro é doido", disse ele. "Os doidos, os velhos e as crianças têm esse costume desagradável de dizer a verdade", disse eu. Só espero que não te encontrem boiando no Rio Ratones com a boca cheia de formiga... ehehehe!!! Lamentei não ter podido te visitar este ano. É que coincidiu tua viagem com a morte por afogamento do meu celular e outros contratempos... não me governava... primeiro foram 12 dias batendo continência para o Mazzucco, depois, utros 8 dias obedecendo a mulher e a filha... adeus vontade própria. rsrsrs. Abração, mestre! E nunca cale essa boca!!!

sueli disse...

xiiiii.....
James, lendo esse seu desabafo, me
senti aliviada pois na praia onde tenho apartamento é a mesma coisa
então qdo ia pra lá ficava trancada no apartamento pra não fi
car stressada, pois só descia pro
litoral pra descansar,mas me sentia
prisioneira pra poder ter um pouco
de sossego isso durante o dia
e a noite qdo a praia era sossego
os pirralhos do apartamento da frente davam plantão até no meio da
madrugada fazendo maior barulho
esse ano resolvi meu drama aluguei
o apartamento e tive ferias tran
quilas aqui na minha casa (que de
cia ) e ainda fiquei com trocados
no bolso

cm drinks e produçoes disse...

eu como vendedor ambulante de batidas e sucos com autorização da prefeitura,e plena conciencia sobre a natureza e problemas que giram em torno ,á principio de canasvieiras e em geral em toda ilha e resto do planeta.
tento de certa forma em meu trabalho contribuir para ajudar a cuidar de canasvieiras em todos os sentidos, msendo que até de ladrão(rato de praia) eu ja corri para tentar pegar , é muito triste saber que nossa prefeitura não tem estabilidade para se organizar e cuidar de nossa praia.