quarta-feira, 5 de maio de 2010

MINISTRO A FAVOR DA MACONHA


Realizou-se no Rio de Janeiro esta semana e terminou hoje (5 de maio de 2010) a "IEDC - International Drug Enforcement Conference", a maior conferência mundial antidrogas, afirmou que "estamos perdendo uma geração inteira" e que são necessários grandes investimentos em 3 áreas : educação, tratamento de dependentes e DURAS OPERAÇÕES POLICIAIS.

Os técnicos de todo mundo afirmaram que "a liberação de entorpecentes é uma experiência fracassada e só causou maiores problemas para quem buscou essa alternativa" (palavras de Alex Toth, diretor assistente do escritório brasileiro da DEA). Patrick Stenkamp, chefe da DEA para a região disse que " legalização é algo que, na posição oficial da DEA, não funciona...isso foi tentado em outros países e os gastos do sistema de saúde para atender as demandas que surgiram com a legalização foram astronômicos".

Os técnicos dizem que nos países em que a droga foi descriminalizada, não acabaram com os traficantes e o número de viciados aumentou assustadoramente, resultando tudo num rotundo fracasso.

Enquanto isso, no Brasil, o ministro do meio ambiente CARLOS MINC, lidera (pelo segundo ano consecutivo) uma passeata pela liberação da maconha nas ruas do Rio de Janeiro.

E ele continua firme no cargo.

*********************************
AUTOR : James Pizarro

Um comentário:

Rafael disse...

ai cara, me desculpa, mas muitas coisas mudaram pro BEM desde que a maconha foi descriminalizada em alguns paises...

portugal, por exemplo...

Alguns números marcantes:

- As mortes anuais por overdose caíram de 400 para 290.

- As infecções por HIV via seringas compartilhadas caíram de 2.000 para 1.400 casos

- Portugal não se tornou um destino turístico de jovens europeus ávidos por se drogarem.

- O consumo de maconha passou de 10 para 1% da população acima dos 15 anos.

Estes são números de um relatório independente publicado pelo Cato Institute (Washington), apresentado em Washington por Gleen Greenwald “Descriminalização da Droga em Portugal: lições para criar políticas justas e bem sucedidas com as drogas” e noticiado na revista TIME.

o que me diz disso?