domingo, 15 de fevereiro de 2009

UM PARAÍSO CHAMADO SANTA CATARINA - (1)


O litoral do Estado de Santa Catarina tem quase 500 quilômetros. Ou seja, metade da costa de Portugal, de onde, afinal veio a maior parte de seus imigrantes – especificadamente, do Arquipélago dos Açores. Nesses quase 500 quilômetros cabem cidades com arquitetura colonial preservada, ondas perfeitas para o surfe, piscinas naturais na medida para relaxar, praias badaladas com gente bonita (e outras desertas e bucólicas), recantos gastronômicos singulares, pousadas aconchegantes.
Descrever as praias de Santa Catarina leva ao risco da redundância. É "belo" para cá, "lindo" para lá, "irresistível" para acolá. Pior ainda quando se vai a Porto Belo e Bombinhas, pois aqui os adjetivos não estão apenas no horizonte. Eles também brotam nas alturas e embaixo d’água. 360 graus e criam, em seus recortes, dezenas de viveiros sub-aquáticos, prontinhos para ser observados pelos mergulhadores de plantão.
A quem ficou com água na boca, vale uma ressalva inicial. Bombinhas e Porto Belo parecem não ter lidado bem com seus atributos. Nos últimos anos, o que deveria ser um enriquecedor boom turístico transformou-se numa invasão desordenada de casas, pequenos prédios grudados uns nos outros e um comércio absolutamente sem charme. A sensação é sufocante e piora conforme se trilham as ruas esburacadas, com calçamento precário e alguns sinais de desleixo público.
Uma vez que você transpasse esse equívoco urbano em que as cidades se transformaram, a recompensa vem em forma de praias aprazíveis e retiros naturais dissimulados. Vale a pena, por exemplo, curtir um fim de tarde nos bares flutuantes da Baia de Caixa D'Aço. Como chegar até eles? Simples: basta pedir (e combinar o preço) aos pescadores. Parece improvisado demais, mas não há jeito melhor de conhecer a alma do lugar do que papear com os nativos durante os 10 ou 15 minutos de travessia.
Porto Belo
Chegando aos bares flutuantes, não espere luxo. Mas conte com petiscos gostosos como o soltinho, nome que se dá a versão local de camarão empanado. Curta também a paz de estar longe da terra e, se tiver sorte, a experiência de ver uma ou outra celebridade chegando de iate.
O mergulho light em Porto Belo é o aperitivo para aventuras profundas em Bombinhas. Nada menos que 60% dessa cidade margeiam a Reserva Marinha do Arvoredo. Sem contar que duas correntes oceânicas se encontram aqui: a das Malvinas e a Brasileira. Em outras palavras, tudo privilegia a vida marinha, o que fez de Bombinhas "a capital brasileira do mergulho ecológico", com mais de dez escolas de mergulho.
Se, porém, seu negócio e ficar acima do nível do mar, tudo bem. A cidade tem 29 praias, de todo tipo: das urbanas e agitadas, como Bombas e Bombinhas, as desertas e selvagens, como Cardoso e Vermelha. Ou daquelas que são piscinas naturais, como Ribeiro ou Sepultura, a outras acoitadas por ondas constantes, como Quatro Ilhas e Mariscal.
***********************
FONTE : MSN VIAGEM

Um comentário:

Ana B. disse...

ahhh eu quero!!! quero morar aí!!!!